Radio Atlanta

NO AR:

Marcela Braga

10:00 às 13:00

Chamada de ladra, Luisa Mell se defende e afirma que nunca roubou cachorros

Luisa Mell

O nome de Luisa Mell voltou a ocupar os assuntos mais comentados do Twitter na tarde desta quarta-feira (16), após um usuário publicar uma série de tuítes falando que a ativista teria entrado em uma casa durante a madrugada para roubar um cachorro.

Ela teve de se defender pelas redes sociais: disse que as “alegações são falsas” e que “nunca roubou um cachorro na vida”.

A história começou após o perfil do usuário Pietra do Agreste publicar uma série de mensagens relatando que Luisa teria entrado com a ajuda de policiais na casa de uma família, às 4h da madrugada, com a intenção de roubar um cachorro da raça Borzoi, rara no país estima-se que existam apenas 15 cães no Brasil.

Além dos donos da casa, haveria também uma criança que aparentava ser autista. Não demorou para o nome da ativista estar entre os assuntos mais comentados do dia. O perfil que postou inicialmente a história apagou as postagens em seguida.

Em um longo texto publicado em suas redes sociais Luisa diz que as acusações sobre o roubo do Borzoi é “falsa”, mas que se trata de uma ação penal contra Gabriela Sertorio Bueno de Camargo.

A ação, movida desde dezembro de 2018, envolve uma ordem judicial de busca e apreensão em um canil clandestino no nome de Gabriela. Foram apreendidos nessa operação 143 cachorros de diferentes raças entre eles um Borzoi.

“A apreensão ocorreu, depois de denúncias de criação irregular de cães e tráfico de drogas. A Borzoi estava há dias sozinha em um quarto escuro e sem janela quando a polícia chegou. Quem determinou quais cães seriam apreendidos foram as autoridades públicas”, escreveu Luisa nas redes sociais.

Nos autos do processo, consta que no lugar da apreensão foi encontrado um “canil ilegal” e que todos os cães estavam em “condições insalubres”. “Foram encontradas cadelas suturadas com linha de pesca, anestésicos e tesouras cirúrgicas, drogas, além de [uma] foto da Gabriela, que não é veterinária, em uma cesárea”, afirmou Luisa.

O processo também explicita que todos os 143 cachorros foram levados ao Instituto Luisa Mell, “o qual possui toda a estrutura para o tratamento de referido animais”.

Brendon Araujo

Programador Musical da Rádio Atlanta

More Posts - Website