Radio Atlanta

NO AR:

Marcela Braga

10:00 às 13:00

Medina vence Julian Wilson e vai às quartas no surfe masculino

Gabriel Medina

Gabriel Medina está nas quartas de final do surfe masculino nas Olimpíadas de Tóquio. O brasileiro venceu sua bateria nas oitavas contra o australiano Julian Wilson nesta segunda-feira (26), na praia de Tsurigasaki, em Ichinomiya.

Medina terminou com 14,33 pontos no somatório (7,50 e 6,83) em suas duas melhores ondas, enquanto o australiano somou 13,00 pontos (6,83 e 6,17). Numa disputada bastante equilibrada, a dupla travou um emocionante ‘corpo a corpo’ nos minutos finais.

Logo após sua primeira manobra, o brasileiro se manteve de pé sobre a prancha e acenou à sua equipe de apoio, que se mantinha em uma barraca distante cerca 200 metros da água. Com as restrições da pandemia, a faixa de areia da praia estava vazia.

“O mar estava bem difícil no começo, mas eu fiquei amarradão que teve onda”, disse Gabriel, que também comentou a possibilidade da antecipação da final do campeonato em um dia, por causa do clima instável da praia de Tsurigasaki. “Amanhã provavelmente vai ser o último dia, estou focado.”

Julian abriu a bateria com um 6,17, e Medina respondeu com um aéreo que rendeu nota 7,50. O australiano assumiu a liderança na sequência, enquanto o brasileiro continuou apostando nos aéreos, mas não completou as manobras faltando pouco mais de 15 minutos de bateria.

Com cerca de 12 minutos para o fim, Medina conseguiu um 6,83 e retomou a ponta. A partir dali, o brasileiro administrou a vantagem e teve a prioridade nos cinco minutos finais, mas o australiano assustou o rival ao pegar uma onda nos segundos finais e dar um aéreo. Ele precisava de uma nota 8,16 para virar, mas recebeu 6,83, o que manteve Medina na liderança.

Medina e Julian travam rivalidade no Circuito Mundial de Surfe. Eles disputaram o título mundial de 2018 até a última etapa – o brasileiro acabou campeão naquele ano.

“Já aconteceu várias situações que foi pro outro lado. A gente nunca sabe assistindo de trás. Eu fui dar os parabéns [a Julian] porque quando a gente compete é sempre difícil. Ele é muito forte nos aéreos, é perigoso.”

“Espero que o mar continue bombando assim, com bastante ondas, o que é bom pra gente. Eu e o Ítalo (Ferreira) amamos mar assim. Acho que amanhã o mar vai dar uma diminuída, mas, se continuar deste tamanho, vai dar muitas ondas; mas estou muito feliz de estar nas quartas”, acrescentou o bicampeão mundial.

Brendon Araujo

Programador Musical da Rádio Atlanta

More Posts - Website